quinta-feira, 30 de agosto de 2018

O mês de agosto no meu Bullet Journal




   Durante a vida inteira eu precisei pôr minhas ideias no papel para poder gerenciá-las. Sempre tenho uma caderneta à disposição caso surja uma ideia brilhante ou simplesmente para anotar tarefas. Eu amo itens de papelaria e não sobrevivo sem uma agenda. A um certo ponto minha vida virou uma bagunça e eu precisei estipular rotinas para me organizar, então resolvi aderir a uma agenda no estilo bullet journal, que é uma maneira de organizar sua rotina combinando três conceitos: agenda, planner e diário!

   É perfeito para mim, até porque antes de conhecer o bullet journal eu já usava este estilo de fazer colagens e usar layouts bonitinhos na agenda. Atualmente uso como agenda um caderno pequeno com folhas brancas lisas (sem linhas) com uma capa de papel pardo e mais uma capa transparente de plástico da encadernação que mandei fazer. Foi uma opção muito barata e versátil.



   O meu grande dilema do mês de agosto foi tirar as metas do papel, pois todo mês e toda semana e todo dia eu estipulava metas e sempre acabava não cumprindo. Era uma decepção toda vez que eu ia revisar a semana por exemplo, e ver que estipulei várias metas mas acabei cumprindo nenhuma.

   Foi então que parei para pensar: se toda vez eu faço as coisas da mesma maneira, travo metas e não consigo cumpri-las, significa que estou fazendo da forma errada. Assim resolvi usar uma tática diferente, em vez de estipular metas como “quero ser mais organizada”, passei a estipular metas mais específicas como “arrumar a cama assim que acordar todos os dias”. Logo, metas como “quero ser mais organizada” são extremamente vagas enquanto metas como “arrumar a cama assim que acordar” são mais específicas e mais fáceis de mentalizar, consequentemente sendo muito mais fáceis de cumprir...

   E não é que este método deu certo?! Aos poucos, estou me tornando uma pessoa mais organizada e o melhorando minha saúde mental.

   Eu gosto de escolher uma frase motivacional a cada início de semana, assim quando as coisas não correm às mil maravilhas eu leio a frase da semana para aquecer um pouquinho meu coração e não me desmotivar mesmo quando não consigo cumprir minhas tarefas.

   Nem sempre eu tenho tempo para escrever no meu bullet journal, então às vezes alguns dias da semana acabam ficando vazios sem nenhuma tarefa anotada! Mas é porque nesses dias eu anotei as tarefas apenas na minha mente lol.

Abaixo seguem fotos de alguns momentos do mês na minha agenda, com algumas frases das semanas.

"A vida é um constante recomeço."




"Não te deixeis vencer o mal, mas vence o mal com o bem." Romanos 12:21




"Não é porque o céu está nublado, que as estrelas morrem."



"A boca fala do que está cheio o coração." Lucas 6:45
   Se quiser, comente qual dos padrões você gostou mais no meu bullet journal. :) Eu particularmente amei o padrão amarelo, pois foi o que mais caprichei!

p.s: perdoe a má qualidade das fotos, é que eu fotografo pelo celular!





Au revoir! 







sábado, 28 de julho de 2018

Paredes invisíveis que construímos ao nosso redor







Instagram: @facedepapel


   O ser humano é capaz. Capaz de ir além, de ser mais, humano. Capaz de construir, e constrói, paredes. Paredes, muretas, MURALHAS!

   Ao passo que o mundo avança em direção a uma tecnologia que nos enche os olhos, construímos paredes que nos impedem de enxergar. De enxergar além. O que há além dos tijolos? Tijolos que empilhamos ao nosso redor todos os dias. Mais um, mais um, MAIS UM! Um aqui, outro ali e TCHANRAM: lá está. Mais uma parede, que nos cerceia a capacidade de sermos, humanos.
   Paredes que criamos a cada NÃO. A cada NÃO ao pôr do sol naquele finzinho de tarde normal, a cada papo que NÃO tivemos com os amigos, sentados na calçada de casa. A cada demonstração de afeto que NÃO expressamos por vergonha de sentir. A cada risada que NÃO demos da piadinha meia boca do tio canastrão naquele almoço de domingo em que preferimos NÃO sentar na mesa com nossa família. “Ah NÃO... quanta gente chata”. A cada estória contada pelos nossos avós que NÃO tivemos tempo para ouvir pois estávamos atarefados demais. A cada “eu te amo” não dito aos nossos pais ou a cada vez que respondemos NÃO ao “oi, vamos brincar lá fora?” que nosso irmão mais novo disse e NÃO saímos correndo pelo quintal, sentindo que cada mancha de sujeira e cada gota de suor foi recompensada pelos sorrisos espalhados.
   Tijolos, tijolos, TIJOLOS! SIM, tijolos. Tijolos cimentados também a cada SIM. A cada SIM para os sentimentos ruins. A cada SIM para o pedido do nosso ego, que cada vez mais tem a necessidade de ser inflado. A cada SIM para a vaidade, para o egoísmo, para a sensação de que “SIM, o mundo gira em torno de mim”. A cada SIM para a necessidade de aprovação. A cada SIM para a intolerância e qualquer que seja a sua manifestação. Tijolo por tijolo. Paredes erguidas.
Mas, o ser humano continua capaz.
Ainda somos capazes?
Ainda somos capazes!
Capazes de remover cada tijolo.
Capazes de mudar os sins e os nãos.
Capazes de enxergar a felicidade na simplicidade das coisas que realmente são importantes.
Capazes de vencer os medos.
Capazes de construir caminhos ao invés de paredes.
Capazes de demolir e ir para além dos muros, em direção à vida. Agora. VÁ!

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Temos nosso próprio tempo




   Pensar demais pode ser um problema, mas quando você cuida da qualidade dos seus pensamentos e pensa pra frente, isso é muito benéfico. E que bom que pensamos! É bom saber que, por trás de cada rosto, há uma capacidade de reflexão incrível. Uma das coisas que nos diferenciam de robôs. E já que, no mundo atual, cada vez mais nos parecemos com máquinas controladas, preservar sua essência é importante.

   Então eu sugiro a todos que tratem de refletir mais. Você está dando importância ao que realmente importa?

   É que o nosso tempo na Terra é muito curto, então é preocupante a possibilidade de chegar ao fim da vida e ter desperdiçado tempo com futilidades. E o fim da vida, ele é imprevisível. Pode chegar amanhã ou daqui a 50 anos. Pense sobre o que está fazendo com sua vida. Tem que valer a pena. O seu "eu" do passado, ele estaria orgulhoso do seu "eu" do presente?



   Independente de qualquer coisa, não é tarde. Não ainda. Dá tempo sim de realizar os seus planos, amar e cuidar do bem-estar do próximo. Pense sobre o que realmente importa, e vá atrás do que te faz feliz.

O que realmente importa pra você?

Não nos esqueçamos dos nossos princípios!

Somos visíveis, necessários e cheios de coisas a oferecer pro mundo!


"Todos os dias quando acordo
Não tenho mais o tempo que passou
Mas tenho muito tempo
Temos todo o tempo do mundo!" 


   Au revoir!

R.